sábado, 2 de abril de 2016

"É só um atraso de linguagem"


Depois que o Miguel nasceu, minha vida se tornou corrida, claro mas uma maravilha. O que posso dizer que foi diferente no Miguel é que ele era um bebê muito chorão, só queria colo e eu não tinha tempo pra mais nada. No mais, tudo correu dentro da normalidade. O Miguel se sentou com 7 meses,demorou um pouquinho pra engatinhar, estava com 11 meses mas andou com 1 ano e 3 meses, o que é considerado normal, segundo os pediatras atraso para andar é considerado depois de 1 ano e seis meses. Até um ano o Miguel era um bebê exatamente normal, e hoje sabendo de todas as características de autismo, posso afirmar que o Miguel até 1 ano não apresentava nenhuma delas. Eu amamentei o Miguel até 1 ano e 5 meses e ele mantinha contato visual quando estava mamando, sorria quando brincávamos, com 7 meses ele aprendeu a fazer "não" com a cabeça e não aleatório, ele fazia "não" exatamente quando queria dizer "não". Nessa mesma época aprendeu a bater palmas, mais tarde aprendeu a acenar com a mãe para dar tchau, enfim todas as coisas que bebês aprendem nessa época .....
Ele teve aquela fase em que o bebê fica falando "dadadadada", enfim aqueles barulhinhos lindos, vou deixar aqui alguns vídeos dessa fase do Miguel. Até 1 ano o desenvolvimento dele foi normal, ele começou a falar "mamãe, nenê, mama... Bom, mas de repente as coisas começaram a mudar, depois que ele completou uma ano as coisas começaram a mudar. O Miguel começou a gostar de brincar com coisas que rodam e ficava girando, todo e qualquer carrinho por exemplo, ele virava de ponta-cabeça e brincava com as rodinhas. Tudo que girava ele gostava, mas não prestamos atenção nisso, aliás até o diagnóstico dele, eu e meu marido não sabíamos nada de autismo. As palavras que o Miguel tinha começado a falar, de repente sumiram e hoje quando vemos os videos dele depois de 1 aninho, já são silenciosos. O Miguel também não brincava com outras crianças, mas isso todo mundo, inclusive eu achavamos que era porque nos moravamos em apartamento e eu sempre fui uma pessoa fechada que não saia nunca de casa, então achavamos que era por ele ser muito sozinho. Outar característica era que ele não respondia quando chamávamos o nome dele. Bom depois que ele fez um aninho, sempre que eu levava o Miguel no pediatra eu falava sobre a fala dele, sobre as outras características eu nuca comentei mas porque como eu disse, não sabia nada de autismo e nem que isso poderia ser características então nunca tinha me atentado de verdade e nenhuma pediatra me perguntou se ele fazia alguma dessas coisas, então o que eu sempre ouvia dos pediatras eram: "É só um atraso de linguagem, mãe, é porque você não estimula, é normal, cada crianças tem seu tempo..." E por aí vai. Mas o tempo foi passando... 

Quando o Miguel fez 2 anos eu já não aguentava mais  as faltas de respostas e paguei algumas consultas com uma fonoaudióloga que  também não me falou nada sobre autismo, 


e nesse tempo, não sei dizer como exatamente, mas minha mãe me disse que tinha visto alguma coisa sobre autista e tinha identificado algumas manias no Migueleu comentei com a Fono e ela também disse que não, me pediu para fazer alguns exames de audiometria e Bara para saber se ele tinha algum problema de audição. Fizemos os exames e todos deram normais. Antes da minha mãe me falar eu tinha lido sobre também, mas como mãe não queria ver as semelhanças de características. Insisti com mais um pediatra e ele encaminhou o Miguel para uma neuro que me disseram que era a melhor neuro de Londrina, mas ela também descartou o autismo, acreditem... Eu por conta comecei a pesquisar sobre autismo depois do que a minha mãe tinha me falado e sempre me assustava com algumas semelhanças, embora algumas coisas o Miguel contrariasse como até hoje faz e vou falar disso mais pra frente, outras coisas o Miguel fazia exatamente como descreviam que crianças autistas fazem. Por um milagre de Deus, mudou o pediatra do Miguel e em uma consulta de rotina em que eu já estava cansada de falar sobre o Miguel a pediatra viu no prontuário dele que à muito tempo eu
1 ano e 3 meses
procurava  respostas sobre o que o meu filho tinha e ela então me disse que ele poderia sim ser autista, eu falei que ja´havia passado 3 vezes por consulta com neuro e ela tinha descartado, ela então chamou a psicologa e juntas conversamos nós três. A psicologa então encaminhou o Miguel para uma neuro especialista em autismo que atende em uma clinica para autistas e depois de passar pela neuro, psicologa, fono, fisioterapeuta e terapeuta ocupacional chegamos a um possível diagnostico ainda não confirmado de autismo. Ele então começou as terapias com psico, fono, Terapeuta ocupacional, e demorou um tempo até o diagnostico de confirmar de que o Miguel está no espectro autista, ainda não confirmado o grau, mas sabemos que ele está no espectro. Enfim, o diagnostico foi bem tardio, o Miguel ja´tinha mais de 3 anos, e hoje corremos atras do prejuízo do tempo que ele perdeu sem fazer terapias, mas agora tenho respostas, antes eu me sentia mal porque queria saber o que o meu filho tem, hoje sei o que é e corro atrás do melhor para ele... Tenho muito ainda o que contar e falar... Sigam aí que continuarei contando.

2 comentários:

Kely Mariana disse...

Em londrina tem um lugar chamado "espaço escuta "não sei se vc já conhece, tive uma professora na faculdade que trabalha lá, ela me deu muitas orientações sobre autimo . Esse foi um dos meu temas favoritos na faculdade.

Joyce Almeida disse...

Oi Kely, então já me falaram do Espaço Escuta, mas atualmente o Miguel faz terapias no Col (Centro Ocupacional de Londrina) que também é especializado em autismo. Mais para frente vou falar um pouquinho mais.

Postar um comentário