quinta-feira, 21 de abril de 2016

O mundo precisa saber que não é birra!



O post de hoje traria um tema diferente, mas uma situação que passei ainda neste dia me fez mudar de idéia. E não foi a primeira vez que isso aconteceu, ontem também aconteceu o mesmo e vou começar contando de ontem. Eu busco o Miguel na escola e vou de ônibus todos os dias, são 2 ônibus, um da escola até o terminal central da minha cidade e outro do terminal até o bairro, quando voltavamos no ônibus que sai da escola e vai até o terminal, (é um ônibus exclusivo para os alunos) o motorista parou antes do ponto que é a parada "oficial" dele, uma simples quebra de rotina que teve um resultado horrível. O Miguel não queria descer do ônibus de jeito nenhum, o tirei com força e ele chorando e esperneando, fui até o ponto para embarcar até o bairro com o Miguel no colo gritando e se jogando pra trás. Eu sou de estatura baixa e meus 1,60cm  não dá conta de segurar os 1,20cm do Miguel, ele só tem 5 anos mas é alto como pai, é muito grande para a idade dele e tem uma força além do comum que dizem ser também é uma característica do autismo essa força descomunal.

Resumindo foi um terror, e como sempre não demorou para uma senhora que fazia parte da platéia que estava olhando a cena e cochichando com os outros, veio até nós, e falou pro Miguel: "Você tem que obedecer sua mãe, não faz isso não" .....
Com toda a calma do mundo e isso até surpreendeu eu mesmo porque sou estressada e acabo falando na lata, mas respondi calmamente "Minha senhora, ele não está fazendo birra, ele é autista". Ela saiu de perto simplesmente, e eu continuei tentando acalmá-lo. Meu dia não melhorou nada depois desse episódio mas vou falar sobre o dia de cão em um outro post, sem contar que a platéia que sempre que vê o show dos nossos filhos, acabam fazendo comentários bem chatos pra nós que sabemos a real situação.


Meu anjo lindo. Amo <3

Hoje fui levar o Miguel ao pediatra e tive que ir sozinha porque meu marido teve que ir trabalhar mais cedo, essa ida sozinha também merece um outro post falando só sobre isso por isso não vou contar detalhes, mas de novo o Miguel dando show porque ele odeia ir no posto de saúde, ele gritando e esperneando veio uma senhora de novo fazer comentário como se ele fosse uma criança birrenta e eu uma mãe permissiva e mais uma vez tive que explicar que ele é autista. Ah, ainda tive que ouvir "Que dó, ele é tão lindo". Mas voltando a atenção para a platéia, gente tenho certeza que não sou a única que passa por isso e como é ruim, as pessoas precisam parar de julgar uma criança de birrenta e pais permissivos sem saber a real situação. Pra começo de conversa vamos ver algumas diferenças entre uma birra e uma crise do autista também chamadas de Meltdowns (colapsos). Birras são acessos de raiva em crianças quando estão excessivamente cansados, irritados, ou chateados. Esses acessos de raiva são rápidos e geralmente cessam quando a criança percebe que os pais não estão dando atenção. Já as crises em autistas esses acessos de raiva podem aumentar e se tornar violento, elas podem até mesmo não compreender ou esquecer o motivo que estão chateadas, e ainda esses colapsos não cessam ou diminuem quando ignorados pelos pais. Crianças autistas tem uma maior perda de controle do que outras crianças típicas. Vou citar algumas possíveis causas desas crises:

  • - Quebra de rotina (foi o caso de ontem com o Miguel em que o ônibus parou em lugar diferente do habitual).
  • - Superestimulação e sobrecarga sensorial
  • - Dificuldades e frustração na comunicação
  • - Ambientes desconhecidos

E por aí vai, como sempre lembrando que o autismo é um espectro e por isso uma criança autista é diferente da outra mas há algumas práticas a serem adotadas nessas crises. 
A melhor maneira é evitar essas crises sempre que possível, para isso depois é necessário identificar as principais causas que desencadeiam esses colapsos. Se você perceber que é a quebra de rotina, tente seguir sempre a mesma rotina, claro que as vezes é difícil, como no meu caso de ontem, o que eu poderia fazer? Pedir pro motorista nunca parar fora do ponto? Complicado né, então se for difícil evitar o colapso, vamos nos concentrar em administrar essa crise.

Em primeiro lugar, sei que é difícil mas tente manter a calma, tente esquecer das pessoas que estão em volta e se concentre em acalmar seu filho, se alguém vier com algum comentário explique que seu filho é especial e precisa de cuidado especial. Certifique-se de que seu filho está em segurança, isso é o mais importante, tenha certeza que ele não vá se machucar e nem está em local perigoso, tire qualquer objeto que possa trazer risco. Tente, mudar o foco, distraia seu filho desviando sua atenção para uma atividade calmante ou introduza um objeto de conforto para acalmá-lo. (Existem algum objetos sensoriais que você pode fazer em casa, vou fazer um post sobre isso também) Talvez uma mudança de ambiente seja o suficiente para acalmá-lo.  

Pode levar algum tempo para determinar o que funciona melhor para seu filho em específico, por isso não desanime se suas primeiras tentativas falharem.

Eu tento não culpar as pessoas que pensam que meu filho é birrento e mal educado, e eu sou uma mãe permissiva sem autoridade. Afinal a falta de informação é grande, acho que eu pensava a mesma coisa antes de ter o Miguel. As pessoas precisam julgar menos e se informar mais, Agora sempre que eu vejo uma criança fazendo birra eu fico pensando se realmente é birra ou a criança é especial e queria muito que as pessoas pensassem assim antes de nos julgar e principalmente antes de vir fazer um mal comentário. Por favor, tente entender a situação primeiro pra depois julgar os pais como permissivos, é tudo o que nós pais de crianças especiais queremos.



VOCE TAMBEM PODE GOSTAR DISSO:


18 comentários:

Elenita Dos Santos disse...

Parabéns pelo depoimento e dicas.

Elenita Dos Santos disse...

Parabéns pelo depoimento e dicas.

Natally Martins disse...

Muito bom o texto!

Margareth Hallen da Silva disse...

Olá! Também já passei por muitos momentos assim com meu filho. Hoje ele tem quinze anos e tbm escrevo nossas experiências em um blog. Abraços! !

Anderson de Freitas disse...

Na realidade as pessoas nem deveriam julgar ou ter a ousadia da aproximação com qqer tipo de comentário...

thais fernanda honda dantas disse...

A falta de conhecimento é tão grande q eu já pensei em fazer uma cartilha explicando o autismo e simplesmente entregar para os curiosos kkkk

thais fernanda honda dantas disse...

Oi Joyce sou eu Thais mãe da Sophia kkk não sei pq a foto do meu amigo está no meu perfil não sei tirar kkkk

Joyce Almeida disse...

Olá gente, não estou conseguindo responder os comentários individualmente, mas agradeço cada comentário, e Margareth me passa o endereço do seu blog pra mim divulgar, e se vc quiser divulgar o meu tbm fique à vontade...

Joyce Almeida disse...

Passe o link do seu blog que eu divulgo aqui e se quiser divulgar o meu tbm fique à vontade.

Be disse...

Um abraço, de quem já esteve no mesmo lugar tantas e tantas vezes!!

Debora Nascimento disse...

Já passei por vários momentos assim, com meu filho, é concordo com você.

Debora Nascimento disse...

Já passei por vários momentos assim, com meu filho, é concordo com você.

Fabiana Ferreira disse...

Muito boa partilha! É bem desgastante ter de lidar com as crises dos nossos filhos somadas aos olhares críticos e desinformados da maioria das pessoas. Parabéns pela sua maturidade em lidar com isso!

Alessandra costa disse...

Perfeito esse texto.... Eu passo por isso sempre com meu filho,elw tem 4 anos e tbm é autista.... Tem duas que eu tô com a pá virada que tenho vontade de bater em certas platéias,mas como vc disse depois do autismo a gente se torna uma pessoa tão paciente que nem sabíamos que tínhamos tanta paciência.

Unknown disse...

Obrigada por compartilhar a sua experiência, assim ajuda as pessoas a entenderem melhor o autismo!!

Juliana Inocencio disse...

parece que você me descreveu nesse texto!!! exatamente como me sinto.

Unknown disse...

Thanks for post:
ship cấp tốc sang nauy giá rẻ nhất
chuyển gửi hàng tới Na Uy giá thấp
gửi đồ đi Na Uy giá thấp
gửi hàng sang Na Uy giá thấp
Điều trị hắc lào như thế nào hiệu quả nhất
Trẻ em khó ngủ ban đêm thiếu chất gì

Anônimo disse...

oi, descobri faz dois meses, estava investigando. estou no chamado Luto, lendo muito, tenho certeza que Deus vai me ajudar a tirar de letra. bjs

Postar um comentário