quinta-feira, 28 de abril de 2016

O que não devemos dizer a mãe de uma criança especial



Pode parecer muito crítico esse post, mas quero que você veja também como uma forma de ajuda, às vezes uma pessoa de fora da nossa realidade, fica sem reação quando contamos que nosso filho é especial e acaba fazendo um comentário não muito legal, na maioria das vezes (eu entendo) não é por maldade, mas pode acabar nos deixando tristes, pensando nisso quero deixar umas dicas para que isso não aconteça. Não escreve esse texto só pensando em mães de autistas, mas minha intenção é que sirva também para mães de crianças com outras deficiências. Já li vários post´s sobre o assunto mas acho que faltaram algumas "coisinhas" e vou tentar colocar aqui a minha opinião como mãe de um autista, e que as vezes escuta algumas coisas não tão legais.

Especial? Nossa, não parece! Ou então, Autista? nossa, não parece! Acredite, isto é o que mais escuto. Algumas deficiências são visíveis, mas nem todas se notam logo de cara, no caso do Miguel mesmo não é nada tão visível, mas com o tempo percebe-se que ele não fala, é muito hiperativo, e assim vai, sei também que geralmente a pessoa está querendo ser legal, dizendo que meu filho parece ser o que eles ditam "normal", o ideal seria evitar esse tipo de comentário .....

Vai dizer que esse sorriso não é lindo?
Especial? Tadinho, ele é tão lindo! Ok, obrigado pelo elogio de "lindo" mas tem coisas erradas ai, primeiro porque tadinho? Nenhuma mãe quer que tenham pena do seu filho, tudo o que queremos é que tenham respeito e carinho. Tudo o que fazemos é pra que nossos filhos sejam muito feliz e posso te garantir que temos tido muito êxito, a prova é cada sorriso lindo que vemos em nossas crianças, tenham certeza que do jeitinho delas, são muito felizes e por isso não é preciso ter pena. Segundo, ele é lindo e toda criança  é linda, sendo especial ou não. Eu tenho visto por ai uma criança mais linda que a outra, e confesso que minha sensibilidade aumentou muito depois que o Miguel nasceu, e aprendi compreender o que realmente é lindo, e é no sorriso de uma criança que eu me encanto, e mesmo as que não conseguem sorrir, sempre tem um jeitinho que elas age que eu me apaixono.

Autista? Nossa, parece mal educado, ele não para quieto? Pois é, as pessoas podem ser cruéis assim. Geralmente crianças autistas são muito agitadas e quando tem uma crise então, todo mundo fala que é birra, inclusive eu já falei sobre esse tema anteriormente (confira o post aqui). Então nunca fale que uma criança é birrenta até saber o que está acontecendo, e sobre ser agitada uma vez eu compartilhei no facebook uma frase que dizia "Nossa, seu filho é tão agitado. Pois é, eu tenho um filho, não uma estátua" e é bem isso ai mesmo, querida acredite, que se pudéssemos fazer nossos filhos ficar menos agitados, nós faríamos porque somos as primeiras a se cansar com isso.

E se acontecer alguma coisa com você, o que vai ser dele? Na verdade pensamos nisso todos os dias, e nos preocupamos muito porque sabemos que ninguém terá a mesma paciência, amor e dedicação pelos nossos filhos preciosos como nós, e lembrar disso mais uma vez não é nada legal. Somo mães de crianças especiais não temos o direito nem ficar doente, quanto mais de morrer, nossos filhos precisam de nós e temos total conhecimento disso.

Você é forte, eu não suportaria estar no seu lugar! Minha amiga, somos fortes porque não temos outra opção, ninguém nos deixou escolha de ter um filho especial ou uma criança típica, e por isso buscamos forças todos os dias e se nós não lutarmos por nossos filhos quem o fará?

Porque ele tem essa deficiência? Alguma coisa que você fez na gestação? Quando recebemos o diagnóstico dos nossos filhos, essa é uma das primeiras perguntas que fazemos, "o porque" e nem sempre se tem uma resposta, como no caso do autismo do meu Miguel, e acredite que nós mães já procuramos culpas em nós mesmos e em nossas atitudes. E mesmo que a mãe tenha uma resposta certa, por favor não fale sobre isso, e se a causa for genética, saiba também que ela não quer falar sobre isso, e se ela quiser deixe que ela toque no assunto, afinal a família é dela e o direito de falar só pertence a ela.

Ele não entende né? Tadinho, ele não consegue! Você não imagina o quanto nossas crianças entendem, o Miguel mesmo, parece ter o sexto sentido e se alguém não faz muita questão de estar perto dele, ele age exatamente igual, por isso não pense que nossos filhos são incapazes porque eles são muito capazes. E digo mais uma vez, esse negocio de "tadinho" não está com nada.

Você viu o que meu filho aprendeu a fazer? Ele não é demais? Sabe, aprendemos sempre que inveja não é uma coisa boa, mas quando se trata desse assunto, nós queríamos sim que nossos filhos fossem como o seu, mas não são e o amamos tanto quanto você ama o seu, o meu pode não fazer o que o seu faz, mas acredite que depois do meu filho especial eu aprendi a valorizar as pequenas coisas e cada conquista do meu filho é muito comemorada, embora para você pareça uma coisa qualquer.

Você quer ter outro filho? E se nascer deficiente também? Aí dá vontade de responder: "O problema é meu, ou seu?" Mas como somos muito bem educadas respiramos fundo e tentamos agir naturalmente. Pois bem, essa é uma decisão exclusivamente do casal, no caso de nós mães de autistas sabemos que temos 17% de chance de ter um outro filho autista, mas se decidirmos pelo segundo filho estaremos conscientes, mas se acharmos que vale a pena tudo para realizar o sonho e o desejo de um outro filho, ou se vamos dar conta ou não, também é algo que nós vamos resolver.

Enfim, só listei alguns tópicos e no futuro conforme eu for ouvindo algumas bobagens rsrsrs, vou montando um novo post. Mas o importante é que você saiba que tudo o que queremos é respeito e compreensão, não trate nossos filhos com diferença, antes de tudo eles são crianças, trate-o com igualdade; não precisa ser melhor com ele, seja apenas como você é com outras crianças "normais" e brinque com eles, ainda que do jeitinho deles. Não tem coisa que nos deixam mais felizes do que ver alguém brincando com nossos filhos. Queremos que você se lembre que além de mãe de criança especial somos mulheres também, e adoraríamos ser chamadas para passear, para conversar, para sorrir como qualquer outra mãe, não nos ignore. E se um dia eu precisar de alguém pra desabafar, se não souber o que me dizer, apenas me escute, eu sou forte como você mesmo diz, mas não sou de ferro, e também tenho meus dias de cão.


POSTAGENS ANTERIORES: 

2 comentários:

Daiane Maria disse...

Joyce,
Adorei seus artigos,suas dicas e sugestões...
Sou mãe de trigêmeos autistas.
Realmente não é uma missão fácil.
Um grande abraço e força para nós mães especiais

eliene costa disse...

É verdade, sou mãe de 2 meninos autista um totalmente diferente do outro e a missão não é tão fácil.💙

Postar um comentário