terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Perfeita é a Mãe! A eterna cobrança feita a nós mães....





Eu já tinha começado a escrever esse texto a uma tempo atrás, e com as experiencias do ultimo dia e também ontem eu assisti ao filme "Perfeita é a mãe" aí que me veio a motivação para terminar de escrever sobre o assunto. Eu já fiz um post sobre como é ser mãe de autista, pelo menos é a minha visão. Não é tarefa fácil e isso só nos mães de crianças especiais muitas vezes podemos entender. Você pode ler este post AQUI. 



Pois bem, ultimamente o numero de grupos de familiares de autistas tem crescido tanto, e isso é muito bom, eu já aprendi tantas coisas com outras mãezinhas. Mas junto com essas experiencias, algumas vezes ouvimos depoimentos de algumas mães que descrevem sua vida quase perfeita e nos faz colocar em xeque a questão se realmente somos uma boa mãe. Quantas vezes vi nesses grupos mães postando que fazem mil tarefas durante o dia e eu me perguntava porque aqui em casa é tão difícil eu cumprir todas as tarefas de um dia, raramente consigo fazer tudo o que planejo para o meu dia. Quantas vezes vi mãe postando fotos de casa um pouco desorganizada pode ser, mas para elas pareciam ou pelo menos diziam que estava um verdadeiro lixão, e eu então olhava para o
meu quarto muitas vezes sem ter onde pisar de tantos brinquedos do Miguel espalhados e eu como louca tentando guardar tudo enquanto no outro quarto ele jogava mais brinquedos pelo chão.

.......

Quantas vezes durante um período difícil de alimentação do Miguel eu via mães reclamando que o filho não quer comer frutas ou legumes e eu que daria tudo pro meu filho não ficar só tomando leite e comendo bolachas, qualquer coisa além disso é lucro pra mim. Vi também mães contando das dietas perfeitas que fazem o filho, ou da alimentação totalmente regulada dos filhos e eu pensando em quantas coisas não tão saudáveis o Miguel come e eu as vezes dou graças a Deus pelo simples fato de ele querer comer algo, saudável ou não. Vejo mães dizendo que estão se sacrificando e ficando sem dormir e sem fazer nada porque o filho não dorme e não para um minuto, mas  elas também não querem e não nenhuma medicação para o filho e eu me lembro que foi eu que pedi para a neuro passar uma medicação para o meu filho porque eu já não sabia mais o que fazer.

Vejo mãe falando das inúmeras extensões de terapias e estimulações que fazem com o filho em casa e eu me lembro que paro sim para brincar com o Miguel mas não faço nada rotineiro, apenas quando dá vontade eu paro tudo pra curtir ele e não só pra estimular. 


A cobrança começa quando dizem que todas devem fazer parto normal porque é melhor, amamentar até 2 anos, e por ai vai... Enfim, quantas vezes me perguntei se eu sou uma mãe tão má assim, será que estou fazendo tão errado assim, será que estou errando tanto na minha missão de ser mãe? Ontem assistindo a esse filme | Perfeita é a Mãe! Veja o trailer aquique coloca suas figuras como mulheres que questionam com humor o papel da mulher da sociedade contemporânea, que deve ser bem sucedida, cuidar de todas as obrigações domésticas e além de tudo ser uma amante incrível me fez me identificar muito. Todos cobram que façamos tudo isso, e  deve ser feito com a maior perfeição sem falhas e atrasos, assim, Perfeita é a Mãe é um atentado à obrigatoriedade da perfeição feminina. O filme conta sobre uma mãe que após descobrir a traição de seu marido decide parar de buscar a perfeição, nessa sua jornada encontra outras duas mulheres que decidem assumir suas imperfeições e procuram se libertarem, fugindo de vez do conceito bela, recatada e do lar. Nessa missão, as mães imperfeitas vão até mesmo enfrentar um grupo de mulheres que julgam todas as outras do bairro, criando regras e julgando o que elas devem ou não fazer. Assim, é interessante ver como o filme tenta desconstruir esses estereótipos e fazer piada com esse processo, defendendo acima de tudo uma maior liberdade feminina.

Hoje em dia é um monte de "tem que fazer assim" ou "não pode isso ou aquilo" e todo esse padrão de perfeição que a sociedade quer exigir para rotular como uma boa mãe, faz com que a maternidade fique um pouco mais pesada do que realmente é.
Mas eu acho que informação é bom, cada dia mais cientistas, médicos e nutricionista pesquisam o que é melhor para nossos filhos autistas, mas a verdade é que nem tudo podemos fazer, algumas coisas estão bem longe do nosso alcance e nossa realidade, tente sempre fazer o seu melhor e eu acredito que o melhor que você possa dar ao seu filho é uma mãe dedicada, feliz, realizada, amorosa e carinhosa. Não adianta muito você dar a melhor alimentação se você nunca está presente nas refeições, ou você dar a melhor escola e ser  a ultima a chegar pra buscá-lo, dar o melhor roupa se você nunca o pode levar para um passeio em família. No filme tem um discurso realista que eu adaptei em minha vida "Eu não sou uma mãe perfeita e na verdade nem você é e nem essas mães que as vezes para nós pare ser a mãe perfeita, sabem eu imagino que talvez lendo o inicio desse texto muitas pensam que eu sou uma mãe ruim, vocês tem razão as vezes eu sou boazinha demais com meu filho e as vezes sou rígida demais as vezes sou tão louca que nem entendo as palavras que saem da minha boca,  o que talvez sirva para o meu filho as vezes não serve para o seu filho, e quando eu acho que comecei a entender o Miguel, ele cresce, evolui e eu volto a estaca zero, então a verdade é que quando se trata de ser mãe eu as vezes não faço ideia do que estou fazendo e querem saber? acho que ninguém faz ideia e  acho que todas somos mãe ruins, sabem por que? porque ser mãe hoje em dia é impossível. então podemos por favor para de fingir que sabemos de tudo e parar de julgar umas ás outras? Podemos nos permitir errar, ser nós mesmas e se for pra julgar que seja pelo nossos esforços e não pelo o que deixo o meu filho comer. queria que a sociedade aceitasse ser uma mãe ruim, se você é mãe perfeita que sabe tudo sobre a maternidade então esse texto não é para você, mas se você é uma mãe ruim como eu que as vezes não faz ideia do que esta fazendo, ou só está cansada de ser julgada o tempo todo, bem -vinda ao time! 


As vezes posso ser permissiva demais em muitos aspectos, e as vezes quando sou dura demais depois me pego pensando" Meu Deus eu sou horrível" e sinto uma culpa enorme, as vezes a gente pisa na bola com os filhos, acha que eles estão bem e de repente está no hospital, e quem sabe mesmo assim um dia daqui a alguns anos eu possa olhar para o meu filho e dizer que fui perfeita pra ele e que tudo deu certo, é isso que busco todos os dias, mesmo que eu erre tentando acertar. Criar filhos é uma experiencia incrível, o amor que você sente quando nasce um filho e que nunca sentiu ou experimentou antes é um milagre!!!" E dai se escolhi o parto cesária, se amamentei ate 1 ano e cinco meses, se ele andou cm 1 ano e três meses, enquanto alguém acha que deveria ter andado até um ano, e daí de ele as vezes não come saudavelmente, tem crises sensoriais em locais públicos, e as vezes até faz birras também, e as vezes é um doce de criança, afinal ele também não é perfeito, nós não somos, aprendemos juntos a fazer sempre o melhor. 


Não há mãe perfeita, então se precisar dormir, durma, se precisar chorar, chore, se precisar deixar a pia cheia de louça pra ficar meia hora no sofá, fique. Você não precisa ser perfeita pra ser uma boa mãe, todas nós podemos errar, as vezes ter vontade de sumir, mesmo que no fundo a gente queira levar o motivo da fuga junto 'rsrs. Todas nós nos cansamos as vezes, embora as vezes a gente quer acreditar que somos perfeitas e em outras horas, a gente quer que os outros acreditem que somos, essa é a armadilha mais banal do ego da maternidade e é preciso cuidado pra não cair nela. Quero poder fazer minhas próprias escolhas, quero poder decidir o que é melhor pro meu filho também. Pode ser que as vezes ao chegar em minha casa, você verá louças na pia, brinquedos pela casa, e mais algumas bagunças, mas você sempre verá uma mulher se esforçando todos os dias pra acertar, fazendo de tudo pra ser a melhor mãe possível. Às vezes eu choro, grito, fico nervosa, até quase tenho um surto, afinal sou humana, mas nunca deixo de amar essa pessoinha que é a razão da minha alegria, ele me faz ser mãe e me faz querer me aperfeiçoar a cada dia. Não sou a mãe perfeita, a que a sociedade dita, mas lá no fundo sou melhor que essa, sou a melhor mãe que posso ser para o Miguel, e se esta dando certo? Acho que a melhor resposta é o sorriso constante e sincero no rosto do meu pequeno... 



VOCE TAMBEM PODE GOSTAR DISSO:

0 comentários:

Postar um comentário