domingo, 2 de abril de 2017

Meu mundo Autista | 2 de Abril: Conscientizar sempre !





Bom, quem acompanha o blog sabe que eu sou  Miguel; Miguel Lorenzo e acabei de fazer 6 anos e acho que sou o menino mais sorridente que a mamãe conhece. Eu sou grande para a minha idade , quem me vê sempre acha  que já tenho uns 8 anos e eu também tenho uma força gigante, como de uma pessoa adulta, e aliás me faz lembrar de quando eu estava na barriga da mamãe e ela me chamava de "Sansãozinho" referindo ao personagem bíblico que tinha força extrema porque eu parecia ser muito forte, me mexia tanto na barriga da mamãe que ela sentia dores, quando eu a  chutava era um chute forte que as vezes ela se assustava, e a mamãe confessa que um dia até perguntou a obstetra se era normal eu me mexer tanto e com tanta força, e a medica disse que sim. Bom, ela era marinheira de primeira viagem e pra nós era tudo novo.  Adoro comer arroz com ovo, embora a mamãe destete ovo 'rsrs e adoro sorvete do Mc´Donalds, também adoro chocolate e agora minha nova paixão também é banana, mas pra almoço e janta eu só como com a mamãe ajudando, sozinho só aceito petit suisse. Adoro brincar com miniaturas de carrinhos e as vezes eu fico enfileirando eles por cor e tamanho, um do ladinho do outro e isso me parece tão legal, quando tudo fica no lugar eu dou pulinhos de alegria. 
Adoro brincar no pula pula mas se não tiver o pula pula também não tem problemas porque eu sei pular muito bem e faço isso principalmente se estou feliz ou empolgado.

......


Adoro beijos e aliás a pessoa que eu mais gosta de  beijar é a mamãe, e as vezes eu vou com cada beijo roubado e inesperado, mas é tão gostoso... Adoro também abraços, aliás eu adoro tocar as pessoas, sou muito sensitivo e saio tocando a todos na rua e isso as vezes é um pouco mal interpretado mas na realidade eu só estou querendo um contato com a pessoa já que eu ainda não sei usar as palavras para me comunicar e isso as vezes me traz grandes dificuldades. A mamãe já aprendeu a ler  e ouvir  as palavras não ditas através dos meus olhinhos mas se as vezes eu não consigo me expressar ou ainda porque fico em desordem sensorial já que tudo é mais intenso pra min, e quando eu fico em desordem pode  encadear uma crise e me levar a um colapso, e se eu vou pra agredir uma pessoa não é bem uma agressão ou por maldade ou por simplesmente querer bater em alguém,  mas muitas vezes eu não sei  como agir ou me expressar. 



....Tenho dificuldades na interação social sim, é difícil brincar com outras crianças porque todas usam a fala pra se comunicar e eu não tenho como falar pra brincar e por isso as vezes posso ser mal interpretado, as vezes eu quero brincar com uma criança e por não saber como iniciar a brincadeira, eu posso empurrar e sair correndo esperando que a criança vá correr atrás de mim  pra brincar de pega-pega como aprendi na escola, mas essa atitude pode ser mal interpretada e as pessoas ao redor me achar sem educação e bruto. Ah, algumas vezes em que eu saio com seus pais para um lugar que ainda não conheço, toda a movimentação e as tantas novidades podem me levar a ter uma crise sensorial pela quantidade de informações absorvidas e com isso eu posso chorar muito, gritar, até mesmo me jogar no chão e com isso todos ao redor me julgam uma criança birrenta, mal educada e sem educação, mas não é nada disso. Isso sem falar nas vezes que vamos a filas preferenciais e nos "fuzilam" com os olhos porque acham que não temos motivos para tal, isso porque julgam que o preferencial é privilegio e não uma necessidade como no nosso caso. 



Eu estudo em uma escola especial para autistas e ainda não sabemos como será a alfabetização e se ela acontecerá  mas a mamãe esta de olho nos caminhos que eu posso tentar mostrar todos os dias. Ir para a escola de ônibus todos os dias não é tarefa nada fácil e a mamãe já quase não está aguentando mais essa tarefa porque as vezes eu não quero esperar o ônibus, eu não entendo muito bem esse negocio de esperar, pra mim é só entrar em qualquer ônibus e pronto, ele me trará pra minha casinha.


 Dias  atrás fomos viajar para o tal do Parque Beto Carrero que a mamãe tanto falou e  eu fiquei tão feliz... Aliás eu já disse que sou um menino muito feliz? Sou muito risonho e meu sorriso é igual da minha mãe.... Ah e já estava esquecendo de dizer, eu sou AUTISTA e a mamãe disse que isso não quer dizer  nada além de que eu sou uma criança muito especial, o autismo pode me trazer limitações mas a mamãe também disse que eu posso tudo o que quiser, que não é bem que eu sou diferente, mas é que as pessoas não são iguais a mim, mas se me julgam diferente, e dai? Posso ser diferente sim, afinal que garça teria de todas as flores fossem amarelas, tem que ter outras cores também... 


Bom, hoje é dia 2 de abril, dia mundial de conscientização do autismo e tudo o que eu e mais 2 milhões de brasileiros e mais milhões pelo mundo queremos é ser tratados com dignidade, nem sempre igualdade, mas com justiça conforme nossas necessidades, não é ser somente aceito, mas ser compreendido, e sabe porque é tão importante divulgar sobre o autismo? Muitas pessoas ainda não sabem nada sobre o assunto, quando a mamãe diz que eu sou autista muitas e muitas pessoas ainda perguntam pra ela o que é isso, porque muitas pessoas precisam parar de me julgar uma criança birrenta ou minha mãe como permissiva, precisam parar de me julgar mal educado ou simplesmente uma criança brava agressiva, precisam entender que as vezes eu preciso usar a fila preferencial sim apesar de eu não ter uma deficiência física. 
Precisam entender que nem todo autista é gênio mas também se nãoe gênio, não quer dizer que não entendemos nada, precisam saber que não estamos em um mundo a parte, mas parte do mesmo mundo, e mesmo que parecemos que estamos distantes, ainda estamos bem ali e queremos ter as pessoas por perto embora elas insistam  que gostamos apenas de ficar sozinhos. 

Para que entendam quando eu não aceitar comer algo em determinado lugar sem julgar que minha mãe não sabe ou não quer me ensinar a comer. Para que a verdadeira inclusão aconteça e em todos os lugares e os meus amigos que estudam em escolas regulares sejam bem aceitos e realmente incluídos, para que a inclusão não seja apenas uma palavra bonita mas que seja real. Para que as pessoas saibam que embora minha mãe me ame acima de tudo as vezes é difícil pra ela e ela só queria que as pessoas compreendessem um pouquinho isso e não simplesmente a julgassem a "santa mãe especial por ter um filho especial", mas que reconheçam que ela é humana também e pode se cansar como qualquer outra pessoa. Para que tenhamos direitos de verdade e que as autoridades os façam valer e não simplesmente para uma classe especifica, mas para que eu e todos os meus amigos autistas tenhamos os mesmos direitos. Para que outras crianças sejam diagnosticadas mais cedo e com isso serem ajudadas mais cedo e não como eu que os pediatras diziam que era só um atraso na fala porque a minha mãe não me estimulava. Para que nem uma criança fique presa em casa por causa do julgamento das pessoas de fora, mas que para que os pais encontrem forças para que o passeio em família aconteça e que seja incrivelmente bom. Para que parem de me olhar com olhares de julgamento e me olhem com mais amor e compreensão. por um mundo mais justo, mais inclusivo, mais verdadeiro, mais apaixonante. Temos esperança e por isso não vamos nunca deixar de dizer a todos que autismo pode ser dificuldade sim mas também é aprendizado, é amor, é paciência, é carinho, e é amor de novo... 




VOCE TAMBEM PODE GOSTAR DISSO:



0 comentários:

Postar um comentário